Onde o amor e a caridade Deus aí está!

Estamos todos mergulhados na pandemia do COVID19 a mais de um mês e diante dos mais variados sentimentos e atitudes estes dias estava pensando que podemos estar vivendo uma “pandemia” na pandemia numa verdadeira e desenfreada avalanche de informações e fakenews.

Não é de hoje a polarização do pensamento político-ideológico em nosso país, mas penso que após as últimas eleições chegou num nível que chega a ser agressivo, desrespeitoso e desumano. As relações afetivas e de amizade sincera agora parecem estar condicionadas ao posicionamento pessoal político-partidário. Será que só temos este caminho? Será que o que defendemos por vezes com tanta gana, como se fosse a única verdade, não está destruindo as relações e causando violência? Que tal aproveitar este tempo a mais que estamos tendo por causa do isolamento social e parar um pouco pra pensar nisso? Como será a vida pós pandemia?

“Tudo começa pelo respeito” pode ser mais que uma campanha da rede globo e ser tornar um passo concreto no chão da vida. Tenho falado a tempos com várias pessoas que as posições e os pensamentos político-ideológicos diferentes não são um mal ou uma “pandemia”, mas ao contrário, o contraditório faz bem. Como dizia o dramaturgo Nelson Rodrigues “toda unanimidade é burra”. Mas se exageradas, em tom violento e demonstrando um proselitismo animalesco, podem causar muito mal.

O título desse artigo cantamos na Liturgia da Ceia do Senhor adentrando no Tríduo Pascal, centro de todo o Ano Litúrgico para a Igreja Católica. Mas é uma afirmação que irrompe os muros da fé católica e das outras igrejas cristãs, porque irmana todas as religiões e as pessoas de boa vontade. Para nós que vivemos e celebramos uma fé ou que sonhamos com dias melhores, temos essa afirmação bem viva em nossos corações nesse momento?

Quando provocamos violência e agressão verbal para expor a “minha verdade” não acredito que seja o Espírito do Ressuscitado a falar em nós!

Volto a perguntar: Que mundo? Que relações? Que valores queremos ver na humanidade depois da pandemia?

O Senhor está no meio de nós! Reconheçamos o Ressuscitado nos irmãos e cultivemos o amor e a caridade.

Leonardo Ramos
Teólogo