Quem disse que não estamos celebrando em tempos de pandemia?

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós”. (Jo 1, 14)

  Escrevo mais um pouco em continuidade ao artigo sobre a comunhão espiritual depois que alguns irmãos me pediram para desenvolver mais um pouco sobre uma práxis celebrativa, ou seja, um pouco como podemos celebrar em casa, em família, para alimentar a espiritualidade cristã alimentando-nos da Palavra de Deus e do amor fraterno. Penso que é importante sempre relembrar que as primeiras comunidades cristãs começaram a se reunir e alimentar a fé no Ressuscitado ao redor da Palavra.

Toda a construção e dinâmica dos ritos que temos hoje em nossas celebrações foi acontecendo com o passar das décadas e séculos. Inclusive da celebração da Eucaristia.

Para ajudar nossa compreensão teológica, mas até de maneira cronológica acrescentei como subtítulo um trecho muito conhecido do evangelho escrito por João, que literalmente nos diz que a Palavra veio por primeiro e só depois veio a compreensão sobre a Eucaristia como Corpo e Sangue do Senhor também como alimento e comunhão com Jesus, que tem fundamento e origem em suas próprias palavras quando nos disse que só quem comer da sua carne…..

Com essa breve fundamentação e olhando para essa dimensão prática da celebração nesse tempo de pandemia, permitam-me antes de propor algumas formas de celebração comentar sobre um apelo sem qualquer fundamentação teológica e eclesial vindas de irmãos conservadores e de mentalidade pré-conciliar do tipo “Nos devolvam a Missa!” Ora, a missa não foi tirada de ninguém. O que nos foi recomendado pela Organização Mundial de Saúde, Ministério da Saúde e especialistas médicos, foi justamente o contrário. Para evitar a transmissão e a contaminação em massa do COVID19 que se evite todo tipo de aglomeração de pessoas e as nossas assembleias litúrgicas são justamente isso. Portanto, não termos nesse momento as celebrações com a participação do povo de Deus é sim uma ação concreta pela vida que é dom e compromisso e que deve ser cuidada com carinho.

Em um artigo anterior já conversamos sobre a participação ativa ao celebrar em casa, o assistir as celebrações na tv e como podemos alimentar a espiritualidade nesse tempo de isolamento social.

Para celebrar a Liturgia em casa no dia do Senhor já temos algumas opções sendo produzidas por liturgistas. Vou citar algumas que conseguimos acessar com facilidade nas redes sociais: A Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB está produzindo semanalmente um subsídio da celebração da Palavra; a Congregação das Pias discípulas do Divino Mestre está disponibilizando também outro subsídio; podemos também fazer a leitura orante da Palavra de Deus a partir dos textos propostos pela Liturgia da Igreja; temos o ofício divino das comunidades e a liturgia das horas que inserem nas horas do dia (manhã e tarde) o ritmo orante; podemos preparar os momentos de oração e de piedade popular em família, como as ladainhas, o terço… Enfim, já temos várias opções que podem nos ajudar a celebrar a Liturgia em casa, alimentar a fé e a espiritualidade com a família ao redor da Palavra de Deus. Proponho essa como principal opção e se quisermos assistir a uma celebração pela tv, que seja um complemento, mas não a principal fonte para alimentar a fé. O tempo da pandemia vai passar e em breve, com a autorização das autoridades sanitárias, estaremos novamente reunidos pelo próprio Senhor na assembleia litúrgica ao redor das mesas da Palavra e da Eucaristia para celebrar o mistério pascal de Jesus. Que assim seja!

Leonardo Teixeira Ramos
Teólogo