A Renovação Carismática Católica (RCC) surgiu no momento em que se começava a procurar caminhos para pôr em prática uma renovação eclesial desejada pelo Concílio Vaticano II.
Conscientes de que a força da comunidade cristã primitiva estivera na vinda do Espírito Santo em Pentecostes e reconhecendo que havia um certo vazio – falta de dinamismo e debilidade espiritual em suas orações e atividades, ainda que não pudessem especificar o porquê – no outono de 1966, um grupo de pessoas, membros de faculdades da Universidade de Duques do Espírito Santo começaram a orar para que esse Divino Espírito manifestasse neles Sua presença cheia de poder, em favor de sua própria vida espiritual e do trabalho apostólico.
Desta forma, os professores de Pittsburgh (EUA) clamavam em oração que o Espírito Santo lhes concedesse uma renovação e que o vazio que seus esforços humanos haviam deixado fosse plenificado com a vida poderosa do Senhor ressuscitado.
A partir de 1967, houve uma explosão de manifestações de Deus na vida de muitos grupos que insistentemente pediam a renovação no Espírito Santo. A história da Igreja Católica nos mostra que esse fato está ligado a outros acontecimentos que propiciaram o surgimento da RCC.
Já em fins do século XIX, o papa Leão XIII escreveu uma Encíclica sobre a Pessoa do Espírito Santo, incomodado que ficou com a insistência da religiosa Helena Guerra que lhe escrevia falando da pouca atenção que a Igreja dava à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Além de se preocupar em fazer a doutrina do Espírito Santo Paráclito mais popular, escreveu também uma ladainha para Ele e, no fim do século XIX, esse mesmo Pontífice celebra uma Missa consagrando o século XIX à Pessoa do Espírito Santo.
Nesse século, o Papa João XXIII manifestou o desejo de que o Concílio Vaticano II fosse guiado por Ele [Espírito Santo]. E, ao convocar o Concílio, o Sumo Pontifíce rezava pedindo um novo Pentecostes para toda a Igreja. O Concílio, então, dá fundamentação para que mais adiante a RCC surgisse.

RCC no Brasil

No começo dos anos 70, alguns sarcedotes jesuítas – entre eles padre Eduardo Dougherty, padre Haroldo Rahm e padre Sales – começaram a realizar retiros chamados de Experiência do Espírito Santo que se espalharam por todo o Brasil.
Realizavam grupos de oração, reuniões de planejamento e, à medida que isso acontecia, a RCC se expandia, surgindo, então, instâncias de coordenação, a princípio em Campinas, depois Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. Portanto, foi a partir da Casa de Retiros de Campinas que a Renovação teve seu começo em nosso país.
A Renovação foi se organizando nas paróquias, dioceses e nos Estados, através das equipes de serviço que se formavam com as pessoas comprometidas mais diretamente, tendo todo o seu trabalho orientado por uma Comissão Nacional. Depois de algum tempo, formou-se também o Conselho Nacional que é composto pelos coordenadores estaduais.
Atualmente, esse movimento eclesial está presente, de maneira organizada e realizando um trabalho pastoral, em 268 dioceses do Brasil, chegando a evangelizar perto de 60 mil grupos de oração.
Coordenador: Fábio
Tel: (22) 99717-4823

R.C.C Intercessão e Núcleo
Grupo de Oração: Terça-feira – 19h30min
RCC Intercessão e Núcleo: Quarta-feira – 19h30min