Quaresma é um novo início, uma estrada que conduz a uma meta segura: a Páscoa da Ressurreição

O Papa nos traz, todos os anos, pouco antes de iniciar a Quaresma, uma mensagem que tenta nos direcionar para esse tempo de encontro com Deus. Francisco nos ensina que este tempo serve “para não se contentar com uma vida medíocre, mas crescer na amizade com Deus. E os passos que a Quaresma nos ensina passa pelas práticas de jejum, oração e caridade.

Neste ano, refletindo essa parábola de Jesus, sobre Lázaro e o rico (Lucas 16,19-31), o Papa deseja nos ensinar que o outro é um dom, e que o primeiro convite que Deus nos faz nesse tempo é de abrir o coração ao nosso próximo, seja ao nosso vizinho ou um pobre desconhecido, reconhecendo neles o rosto de Cristo.

É comum, nas paróquias, incentivar as penitências da Quaresma, e muitos aderem ao costume mesmo sem saber o motivo pelo qual o faz; muitas vezes, deparamo-nos com práticas vazias. Muitos não comerão chocolate, outros não beberão  refrigerante, e por aí vai… Mas o Papa, ao falar que não devemos nos contentar com uma vida medíocre, vem nos alertar justamente para o fato que nos preocupamos muito com a aparência, e nos esquecemos de praticar realmente o amor.

Podemos passar quarenta dias sem comer chocolate, mas, durante esses dias, não mantemos a inimizade com o vizinho ou uma pessoa da própria família. E assim agimos como esse homem rico que desprezava Lázaro.

O Papa recorda que, na parábola de Jesus, o outro homem, ao contrário, não tem nome como Lázaro; ele é chamado somente de “rico”. Ele se veste como um rei e se comporta como um deus, esquecendo-se de que é simplesmente um mortal. Em sua ambição e ganância, torna-se cego ao seu igual que sofre, e se preenche de banquetes e festa todos os dias.
https://formacao.cancaonova.com/

Os comentários estão fechados.